O aprendizado da criança na Fase Oral (0 – 1 ano)

As fases do desenvolvimento da personalidade humana foram estudas por vários pesquisadores. Dentre eles, um dos principais nomes dessa área de estudos, sem dúvidas, foi Freud.

O pai da psicanálise, Sigmund Freud, em sua teoria acerca das fases de desenvolvimento da criança, apresenta-nos as 5 fases psicossexuais do desenvolvimento humano.

Freud utiliza-se do termo psicossexual porque, de acordo com os seus estudos, o desenvolvimento está ligado com a sexualidade das pessoas. Contudo, isso não está relacionado com prazer, apenas com a sexualidade. Sempre é bom deixar isso bem claro.

Conforme as crianças crescem, as suas necessidades fisiológicas, descobertas e fantasias vão se transformando. Sendo assim, enquanto essas mudanças vão ocorrendo, também vai acontecendo uma mudança no jeito que a criança lida com a própria psique. Ou seja, durante as fases de desenvolvimento, as crianças criam mecanismos para saciar os seus desejos de acordo com a descoberta da sexualidade.

Nesse contexto, essas fases estão ligados diretamente com o aprendizado dos pequeninos. Isso porque, ao observar as necessidades da crianças em cada um desses períodos, é possível ser mais assertivo e preparar melhor as crianças para o processo de aprendizagem de diversas coisas.

É sobre esse assunto que falaremos no texto de hoje, confira!

A Primeira Fase – Oral (de 0 a 1 ano)

A primeira fase desse desenvolvimento é a fase oral, que começa do nascimento até um ou dois anos de idade. Essa variação pode acontecer porque o desenvolvimento ocorre de forma diferente de pessoa para pessoa. Nessa fase, a zona erógena da criança fica na boca.

Agora, você pode perguntar: o que significa essa parte de zona erógena? Por que a zona erógena é onde se concentra as necessidades e gratificações da criança. Ou seja, é onde o prazer e os sentimentos bons são alcançados.

Na fase oral, a zona erógena fica na boca e mais uma vez lembrando que a zona erógena não tem a ver com a sexualidade dos adultos. Mas sim por onde suas necessidades básicas são sanadas. As necessidades do bebê nessa fase estão ligadas à sede e à fome. Então, quando o bebê é alimentado, essas tensões são aliviadas

As tensões são criadas pelas necessidades da criança. Por isso, quando o bebê chora, ele está tenso, pois precisa de algo que acabe com aquela tensão. Então, quando o alimento vai até à boca da criança, ela sente um alivio. Isso porque as suas necessidades foram atendidas e ainda vai ser confortado, aninhado e acalentado.

Desta forma, o bebê vai associar o ato de se alimentar a redução da tensão alimentar e a sensação de prazer gerada pelo contato afetuoso do  adulto que o está alimentando. A boca será a primeira parte do corpo que o bebê vai conseguir controlar e nela vai se concentrar toda sua pulsão de vida seu libido, ou seja, o prazer.

cambly-Aprendizado-da-crianca-desenvolvimento–Fase-Oral

Quais são as satisfações do criança na fase oral?

As principais satisfações da criança nessa fase são ligadas à boca, como dissemos. Então, na fase oral, tudo que o bebê faz com a boca  vai gerar prazer e satisfação. Sendo assim, os principais atos que envolvidos nessa fase, são:

  • Beber
  • Comer
  • Morder
  • Sugar

Por isso, mesmo que o bebê esteja bem alimentado, ele terá, mesmo assim, o desejo de querer sugar ou morder algo. Isso porque a fome é uma necessidade orgânica e básica do ser humano. Independentemente da sua fase de desenvolvimento.

A pulsão é algo orgânico e psicológico, então, vai além da simples necessidade básica. Pois esse é um desejo quase que incontrolável, sendo assim, é na fase oral que essas necessidades vão se concentrar na boca.

Por isso, bebês têm a necessidade de levar tudo à boca. É pela boca que eles irão conhecer o mundo e as suas texturas, os seus sabores e os seus tamanhos.

Estimulando e ajudando o desenvolvimento de seu bebê

Os estímulos positivos ao bebê na fase oral são fundamentais para que ele cresça e se desenvolva para próxima fase do seu desenvolvimento psicológico.

Contudo, é preciso ponderação, já que se os estímulos positivos forem muitos, talvez  a criança não se desenvolva para a próxima fase. Isso porque ele não vai querer sair da fase em que suas necessidades e desejos são todos atendidos.

E quando o oposto ocorre e as suas necessidades não são atendidas, o desenvolvimento do bebê não evolui. Pois a fase oral não está completa de forma satisfatória. Por isso, muitos  adultos tendem a colocar objetos na boca, comer unhas e sugar o polegar, por que ou se recusaram a evoluir para próxima fase ou algo ficou pendente na fase oral.

Nesse contexto, a aquisição da língua na fase oral se dá de forma natural pelo bebê. Porque um bebê que nasça nos Estados Unidos, mesmo que venha para o Brasil, não vai falar inglês, mas sim português. Pois ele está inserido e contextualizado na cultura da língua portuguesa.

cambly-Aprendizado-da-crianca-desenvolvimento–Fase-Oral-0–1ano

Como potencializar e auxiliar o aprendizado da criança na fase oral?

Um bebê, muito antes de nascer, mesmo na barriga da mãe, está sendo envolvido pelo mundo externo. Isso porque as pessoas tendem a tentar a falar com o bebê durante a gestação.

E, mesmo após seu nascimento, a criança é estimulada por sons e conversas. Os sons podem fazer com que a criança desenvolva uma aptidão ou gosto pela música, ou, até mesmo, pode aflorar uma maior sensibilidade nos pequeninos.

Já em relação à fala, mesmo não sabendo falar, o bebê está sendo estimulado quando o adulto a conversar com ele. Então, usar outras línguas de forma natural pode ajudar a o bebê na aquisição dessa outra língua.

Portanto, a aquisição de uma outra língua pode ser trabalhada desde a fase oral da criança. Além de outras questões que também podem estimular diversas áreas do aprendizado, como é o caso dos sons e da música, que citamos anteriormente.

Exemplos de como estimular o aprendizado da crianças na fase oral

Sendo assim, é possível que os pais também ajudem a estimular o bebê. Além disso, esses estímulos podem ser para além da conversa em outra língua com bebê, podendo ser:

  • Músicas e sons
  • Vídeos (quando a criança já nasceu)
  • Brincadeiras

Enfim, para exemplificar uma atividade que pode ajudar no desenvolvimento da criança, pode ser utilizado o vídeo ou a música “Baby Shark” ou brincadeiras do tipo “Peek-a-Boo”, um paralelo americano do nosso “Achou” com as mãos tapando o rosto.

A dica de ouro para que esses estímulos ganham ainda mais pessoa na fase oral, é fazer essas atividades enquanto o bebe sacia as suas necessidades. Por exemplo, fazer essas brincadeiras enquanto o amamenta ou o alimenta ou enquanto ele ainda esta na barriga, dentre outras possibilidades.

Esses estímulos ajudam no desenvolvimento das crianças ao mesmo tempo em que estimulam o aprendizado de outros conteúdos. Portanto, podemos considerar que sanar as necessidades básicas do bebê ao mesmo tempo em que os estimulamos com essas interações, potencializa o aprendizado deles.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: